Transmissão:estado da arte para longas distâncias

O setor de energia está prestes a concluir um estudo que vai apontar o estado da arte de uma série de tecnologias. Tais soluções são consideradas alternativas para a transferência de grandes blocos de energia localizados a longas distâncias, potencialmente existentes nas bacias hidrográficas amazônicas para os centros de carga nas regiões Sudeste e Nordeste. O trabalho é fruto de chamada pública lançada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em setembro de 2008, relecionada ao projeto estratégico “Alternativas não convencionais para a transmissão de energia elétrica em longas distâncias”.

O trabalho tem coordenação da Eletronorte, envolvendo ainda Furnas, Cemig, Cteep e EATE. A execução do projeto cabe às fundações COppetec, da Universidade  Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e FDTE, da Universidade do Estado de São Paulo (USP). Entre as tecnologias consideradas estão transmissão em corrente  contínua, transmissão em ultra tensão em corrente alternada, sistemas de transmissão em meia onda, sistemas hexafásicos, transmissão de hidrogênio e supercondutores.

Os resultados obtidos pelo projeto até agora serão mostrados nos dias 9 e 10 de fevereiro, em Brasília, com a realização do seminário “Alternativas não convencionais para transmissão de energia elétrica – estado da arte”. A programação inclui apresentação de trabalhos técnicos e um painel sobre inovações tecnológicas em subestações, equipamentos e linhas de transmissão, com a ABB, Siemens e Alstom. A empresa Chinesa State Grid também falará de sua experiência em tecnologia para extra-alta tensão em corrente alternada e corrente contínua.

Fonte: Ambiente Energia