Quatro regiões do país ficam sem energia

Apagão provocado por explosão em linha de transmissão da Usina de Itaipu afetou pelo menos 11 estados

São Paulo. A explosão do reator de uma das linhas de transmissão da usinas de Itaipu ocasionou, na tarde de ontem, de toda a parte brasileira da usina. A explosão foi causada pela presença de gás no equipamento.

A empresa Furnas, responsável pela linha de transmissão, diz ter constatado a presença do gás às 16h20 e solicitado ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) o desligamento do circuito “em caráter de urgência”. Conforme Furnas, não houve tempo do ONS para executar a manobra.

De acordo com o ONS, a falha ocorreu às 16h43 nas linhas entre a usina e uma estação em Foz do Iguaçu (PR). A perda de carga foi de 5.700 MW.

Com o desligamento da usina, foi acionado o Esquema Regional de Alívio de Carga. O ONS determinou que as distribuidoras fizessem cortes para administrar a queda nas linhas de transmissão. De acordo com o operador, as distribuidoras selecionaram os locais em que faltaria luz. A perda de carga real foi estimada em cerca de 3.000 MW. O religamento da usina ocorreu às 17h13.

Foram registrados apagões no Acre, Rondônia, Mato Grosso e Goiás, além de áreas das regiões Sul e Sudeste.

No Paraná, a Companhia Paranaense de Energia (Copel) afirmou que todas as regiões do Estado foram afetadas e deixaram 350 mil clientes sem energia. No Rio, 275 mil moradores das zonas norte e oeste da capital fluminense, além de alguns municípios da Baixada Fluminense foram afetados, segundo a distribuidora Light.

A linha afetada liga Foz do Iguaçu (PR) a Ivaiporã (PR). De acordo com a empresa, um sistema de segurança foi acionado e interrompeu a transmissão de todas as outras linhas do setor de 60Hz da usina – que atende o território brasileiro.

O setor de 50Hz de Itaipu, que atende o Paraguai e cuja energia excedente é comprada pelo Brasil, não foi afetado. A Itaipu ressaltou que não houve problemas na geração de energia, e sim na transmissão. “As unidades geradoras do setor de 60Hz da Itaipu não apresentaram nenhum defeito durante a perturbação, permanecendo disponíveis para atender o Sistema”, disse em nota.

O Ministério de Minas e Energia disse que não iria se pronunciar sobre o assunto. Em fevereiro, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, minimizou o apagão que atingiu sete estados do Nordeste. Ele disse que falhas no sistema elétrico são comuns no mundo todo, e que no Brasil não é diferente.

Fonte: Ambiente Energia