Procel/CNI realiza estudo para levantar potencial de economia de energia na indústria

Em fase final de edição, documento busca reunir todas as informações de eficiência energética de 14 subsetores disponíveis no Brasil

Dayanne Jadjiski, para o Procel Info

PROCEL
Estudo analisa potencial de economia de
energia em 14 subsetores da indústria

Levantar o potencial de economia de energia de 14 subsetores do segmento industrial. Este é o objetivo de um estudo realizado pela Eletrobras, no âmbito do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O estudo foi realizado pela Universidade Federal de Itajubá, de Minas Gerais, e pela Universidade Estadual de Campinas, de São Paulo, sendo um resultado efetivo do programa de ações com a CNI destinado à eficiência energética no setor industrial, cujos investimentos são de R$ 2,267 milhões. Deste total, 73% dos recursos, equivalentes a R$ 1,953 milhão, são provenientes da Eletrobras.

Em fase final de edição, o estudo tentou reunir todas as informações de eficiência energética disponíveis no Brasil, bem como estabelecer a relação dessas informações com o benchmarking internacional tecnológico de cada subsetor estudado, constituindo então os potenciais de economia de energia dos subsetores pesquisados. Adicionalmente o estudo mostra em que áreas da indústria existem potenciais para maior eficiência energética e, no caso de haver projetos nesse sentido, saber por que não estão sendo colocados em prática.

Entre os 14 subsetores estudados está o setor de papel e celulose. De acordo com o gerente da Divisão de Eficiência Energética na Indústria e Comércio Eletrobras/Procel, Marco Aurélio Moreira, este segmento, por meio de suas associações de classe: ABTCP – Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel e BRACELPA – Associação Brasileira de Celulose e Papel, foi o primeiro a entender a nova proposta de trabalho em parceria com o Procel para analisar oportunidades e desafios relacionados à energia.

“Queremos aprender mais sobre o segmento, mapear junto com os técnicos os equipamentos específicos com maior potencial de economia de energia e discutir qual seria a melhor política para facilitar a realização dos projetos”, disse Moreira. O executivo ressaltou que esta será a primeira vez que o Procel trabalhará diretamente com um segmento. “Nesses 25 anos de Procel isso nunca foi feito. Queremos encontrar junto com os segmentos o que impede o mercado de realizar esses potenciais”, ressalta.

O trabalho do Procel consiste também em verificar de que forma o governo pode contribuir para viabilizar economicamente ações de eficiência energética nas áreas estudadas. “Precisamos aprofundar os estudos nos segmentos para entender melhor as oportunidades observadas. Além de termos um potencial técnico, teremos um ranking com as melhores e piores oportunidades. Poder pensar junto e desenvolver soluções com o setor é fantástico”, avalia o executivo.

A ideia com o estudo é que o Procel funcione como um interlocutor para levar demandas e destravar o que for necessário dentro do governo. “Queremos criar um ambiente permanente de debate sobre a questão energética por segmento, para poder desenvolver uma política energética focada em cada um dos setores. O objetivo é criar uma interação entre o governo e a iniciativa privada”, disse Moreira. A atuação da parceria começa a partir dos resultados preliminares do estudo. Um deles é que o setor de papel e celulose tem potencial para aumentar em, pelo menos, 19% sua eficiência energética.

De um modo geral, entre as principais barreiras para a racionalização do uso da energia nas indústrias estão o desconhecimento sobre as tecnologias mais eficientes e seus benefícios, análise de viabilidade econômica, que não é feita e apresentada adequadamente aos tomadores de decisão, dificuldade de acesso a linhas de financiamento e dificuldades de se obter mão de obra especializada, principalmente em empresas de pequeno e médio porte. As informações são do Relatório Oportunidades de Eficiência Energética para a Indústria, elaborado em 2009 pela Eletrobras, em parceria com a CNI, em fase final de edição.

Para incrementar as ações no âmbito do subsetor de papel e celulose estão previstas a publicação de um relatório complementar ao estudo já realizado, e o apoio à promoção de um evento específico sobre eficiência energética durante o 43º Congresso e Exposição Internacional de Papel e Celulose, organizado pela ABTCP, que será realizado de 04 a 06 de outubro de 2010.

Fonte: Procel Info