Governo define Angra 3 como energia de reserva

Neste contrato, todos os consumidores pagam pela oferta, inclusive os clientes livres

Wellington Bahnemann, da Agência Estado



SÃO PAULO – O Ministério de Minas e Energia (MME) publicou, ontem, a portaria nº 586/10 que autoriza a contratação da oferta da usina nuclear Angra 3 (RJ) como energia de reserva. Pelos termos do documento, serão contratados pelo sistema até 1,184 mil MW médios de energia assegurada da térmica nessa modalidade contratual por 35 anos, com início a partir de 2016. No contrato de energia de reserva, todos os consumidores pagam pela oferta, inclusive os clientes livres.

A portaria ainda estabelece que o preço da energia não possa ultrapassar R$ 148,65/MWh, a valor de dezembro de 2009. A definição da modalidade contratual e do preço da energia são fatores fundamentais para que a Eletrobras, que irá construir a usina por meio da controlada Eletronuclear, avance nas negociações para obter financiamento ao projeto.

Ao final de maio, a Eletronuclear obteve da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) a licença de construção para dar início ao que é considerado o marco zero do empreendimento, a concretagem da laje do edifício do reator. A expectativa é de que Angra 3 entre em operação ao final de 2015, demandando um investimento total de aproximadamente R$ 9 bilhões.

Fonte: Estadão