Cemig disponibiliza R$ 20 milhões para projetos de eficiência energética

No primeiro trimestre deste ano, a Cemig investiu cerca de R$ 6,3 milhões em projetos de troca de chuveiros elétricos por aquecimento solar e substituição de iluminação ineficiente em instituições e residências da Cohab, dentre outros.

Cemig

A Cemig deve investir, neste ano, cerca de 20 milhões de reais em projetos de eficiência energética por meio de chamada pública. A informação foi divulgada nesta terça-feira (19), em Sete Lagoas, durante o I Workshop de Chamada Pública promovido pela empresa para esclarecimentos aos interessados em apresentar projetos que poderão ser contemplados com recursos do Programa de Eficiência Energética.

No primeiro trimestre deste ano, a Cemig investiu cerca de R$ 6,3 milhões em projetos de troca de chuveiros elétricos por aquecimento solar e substituição de iluminação ineficiente em instituições e residências da Cohab, dentre outros.

De acordo com Leonardo Rivetti, gerente de Eficiência Energética da Cemig, as concessionárias e permissionárias de serviços públicos de distribuição de energia elétrica devem aplicar, anualmente, o montante de, no mínimo, 0,5% de sua Receita Operacional Líquida (ROL) em ações que tenham por objetivo o combate ao desperdício de energia elétrica, o que consiste no Programa de Eficiência Energética (PEE) das empresas de distribuição.

“Desde o ano passado, a Aneel determina que parte desse percentual seja disponibilizado através de chamadas públicas, visando dar mais transparência e democratizar a aplicação dos recursos. Na primeira chamada pública ocorrida no ano passado foram disponibilizados R$ 10 milhões e apenas um projeto conseguiu ser contemplado. Para a segunda chamada, dobramos o valor e acreditamos que com os esclarecimentos prestados neste Workshop, um maior número de projetos poderão obter êxito”, informa Rivetti.

A outra parte dos recursos, não disponibilizada através da chamada pública, é investida em projetos educacionais para a população de baixa renda. Respeitando esta legislação, a Cemig, por meio do seu PEE, promove ações voltadas para uso consciente e eficaz da energia elétrica, contribuindo também para esse momento que os reservatórios estão em fase de recuperação, depois de um longo período de condições hidrológicas desfavoráveis.

Economia de energia

O consumo de energia depende também, basicamente, de duas variáveis: potência em Watts (W) dos equipamentos e do tempo de utilização (em horas – h) destes equipamentos. Fazendo uma analogia com o consumo de combustível, que depende, basicamente, da potencia dos veículos e a distancia percorrida, fica mais fácil de entender.

Então, para utilizar corretamente a energia, devemos atuar nas duas variáveis, potência e tempo. Ao adquirir um eletrodoméstico, dê preferencia aos equipamentos mais eficientes, aqueles que são identificados com o Selo Procel ou de Letra A na Etiqueta do Procel/Inmetro. Uma terceira opção é reduzir também o tempo de uso através de alguma automação ou mudança de hábito.

Vilões do consumo

O chuveiro é um aparelho que consome muita energia devido à sua potência elevada (em média 5.200 W), mas em compensação, tem um tempo de uso menor se comparado com a geladeira, iluminação, televisão, etc. Em dias quentes e sempre que possível, mude o seletor de temperatura da posição inverno para a posição verão, o que reduz a potência em até 30%. Outra opção indicada é substituir o chuveiro por um sistema de aquecimento solar, o que certamente vai resultar em uma significativa redução no consumo final na fatura.

Por outro lado, a geladeira é o outro equipamento em uma residência que consome muita energia, neste caso devido ao elevado tempo de funcionamento, já que a potência desta chega ser 50 vezes menor que a do chuveiro.

Uma geladeira em bom estado e condições de uso, ou seja, com as borrachas fazendo a perfeita vedação e abrindo a porta somente quando realmente necessário e durante um tempo razoável, funciona 12 horas por dia, ou seja, 360 horas por mês. Porém, é comum encontrar geladeiras com as borrachas de vedação com a durabilidade vencida (duras e quebradiças), abertura da porta sem necessidade, com o termostato no máximo de refrigeração, colocando produtos ainda quentes em seu interior, motivos que contribuem para que ela passe a  funcionar muitas horas acima das 360 horas/mês.

Toda economia que se faz no presente certamente será significativo para as gerações futuras. Por isso, a eficiência energética é tão importante tanto para as concessionárias de energia quanto para a população. Mais dicas de economia e utilização racional de energia elétrica podem ser acessadas no site da Cemig.

Fonte: Correio de Uberlândia

logo-pet-2