A tendência da eficiência energética

Assunto: Revista O Setor Elétrico – 02.2010

Mundo – Reportagem da Revista O Setor Elétrico mostra como o mundo aposta na eficiência energética como ferramenta para reduzir emissões de dióxido de carbono

Mundo – O protocolo de Kyoto foi o início do estabelecimento de objetivos quantitativos e uma agenda relativa à redução das emissões de CO2 com compromissos claros dos governos. Muitos países atenderam a essas medidas e foram além, aceitando cumprir também as recomendações do Grupo Intergovernamental de Especialistas em Evolução do Clima (GIEEC) definidas na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCC), a fim de estabilizar o nível de concentração de CO2. A União Europeia é um bom exemplo, visto que em março de 2007 fixou o objetivo de atingir o conhecido 3×20 até 2020. Trata-se de redução de 20% de emissão de CO2, melhoria de 20% na eficiência energética e obtenção de 20% de energia renovável. Alguns países europeus planejam um compromisso de até 50% para 2050, o que demonstra que o panorama e as políticas de eficiência energética estarão presentes durante um longo período de tempo.

No mundo todo, regulamentações e legislações reforçam acordos das partes interessadas e programas fiscais e financeiros são aplicados. No Brasil, são exemplo disso o Plano Nacional de Eficiência Energética, o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) e o Programa de Etiquetagem de Eficiência Energética de Edificações. A Revista O Setor Elétrico publicou uma reportagem sobre este assunto em sua edição de fevereiro. Segundo a reportagem, todos os setores estão envolvidos nesses programas, e o impacto das regulações atinge não apenas as novas instalações e construções, mas também os edifícios existentes, o setor industrial e a infraestrutura. Paralelamente com a padronização, surgem diversas novas normas e outras já estão em andamento. Em edificações, indústrias e comércio, todos os usos da energia influem: iluminação, ventilação, aquecimenro e ar condicionado. Algumas dicas podem ser simples e muito interessantes para contribuir com a eficiência energética.

Revista: O Setor Energético

Fonte: Procel Info