Startup sueca cria caminhão totalmente elétrico e autônomo

A Einride é uma empresa de transportes com sede em Estocolmo, na Suécia. Foi fundada em 2016, é especializada em veículos autônomos e conhecida por criar o T-pod — um veículo projetado desde a sua ideação para operação totalmente autônoma e remota.

A startup anunciou, no último dia 12, o lançamento de seu mais recente veículo, o T-log. O modelo é uma evolução do T-pod, apresentado no ano passado, porém mais potente e dotado de capacidades para enfrentar o ambiente fora de rodovias, como estradas de terra e sem sinalizações. Sem cabine, apenas com um painel frontal, o veículo tem capacidade para 16 toneladas de carga.

‘A falta de uma cabine permite mais capacidade de transporte, bem como uma maior eficiência do motor totalmente elétrico do veículo’, diz Einride. A bateria do T-Log permite até 200 quilômetros de autonomia.

O T-log utiliza a plataforma Drive Unit da NVIDIA, dando acesso a dados de tráfego em tempo real, que podem ser usados para planejar rotas dinamicamente e evitar engarrafamentos, o que garante um nível 4 de automação — carros autônomos da Tesla e da Uber, por exemplo, possuem nível 2 na escala que vai de 0 a 5.

Isso também pode otimizar o uso de energia para permitir que o veículo entregue boa autonomia. Caso algum problema seja detectado e o caminhão não consiga se locomover de forma automática, uma intervenção humana será necessária; contudo, o operador humano poderá controlar o caminhão remotamente, mesmo que esteja a centenas de quilômetros e utilizando dados móveis.

‘A cabine do motorista é o que torna os caminhões caros quanto à produção, e ter um motorista na cabine é o que os torna caros quanto à operação’, arrisca Robert Falck, CEO da Einride.

Remova a cabine e substitua o motorista por um operador que possa monitorar e controlar vários veículos ao mesmo tempo, e os custos podem ser reduzidos significativamente. Além disso, operar um veículo a distância permite um ambiente de trabalho muito melhor, como já demonstrado em indústrias como a da mineração.

A maioria dos especialistas acreditam que a primeira indústria a ser afetada pela direção autônoma será o setor de caminhões. Qual é o melhor caso de uso para a tecnologia sem motorista do que para o transporte de longa distância, onde a maior parte da condução está confinada à rodovia?

Sem dúvida, a imagem de um caminhão sem cabine aumentará o medo de que a tecnologia autônoma leve a um enorme desfalque na força de trabalho. São quase 2 milhões de caminhões circulando pelas estradas brasileiras, e a previsão é de que até 2030 cerca de 50-70% dessas ocupações se tornem obsoletas nos EUA e na Europa, podendo não ser muito diferente para o restante do mundo.

A Einride espera que o T-Log esteja no mercado e comece a operar em vias públicas já em 2020.

Curte o conteúdo do Energia Inteligente? Compartilhe com seus amigos!

Fonte: TecMundo

logo_pet2