Interface cérebro-computador que permite que pessoas com paralisia profunda controlem tablets

Uma nova interface cérebro-computador pode permitir que pessoas com paralisia operem um tablet diretamente, simplesmente pensando em mover o cursor e fazer cliques. Isso é demonstrado pelos resultados de uma investigação apresentada publicamente pela equipe de Paul Nuyujukian, Jose Albites-Sanabria e Jad Saab, do consórcio BrainGate nos Estados Unidos e seus colegas.

Três participantes de um ensaio clínico, afetado por tetraplegia, receberam o implante de interface cérebro-computador BrainGate, que detecta os sinais neurais associados aos pensamentos dos movimentos. Esses pensamentos são gerados no córtex motor do cérebro. Esses sinais neurais foram roteados para uma interface Bluetooth configurada para funcionar como um mouse sem fio. Em seguida, o mouse virtual foi emparelhado com um tablet Google Nexus 9, não modificado, que também desativou todos os softwares de acessibilidade pré-carregados.

Os participantes foram convidados a realizar uma série de tarefas usando o tablet, projetado para ver como eles eram capazes de navegar dentro de uma série de aplicativos comumente usados, e passar de um para o outro. Os participantes navegaram por meio de seleções de músicas em um serviço de streaming, procuraram vídeos no YouTube, navegaram por um agregador de notícias, prepararam mensagens de e-mail e conversaram.

O estudo mostrou que os participantes conseguiram fazer até 22 seleções de apontar e clicar por minuto, enquanto usavam vários aplicativos. No texto, eles podem digitar até 30 caracteres efetivos por minuto usando interfaces padrão de texto e email. Além disso, os participantes indicaram que acharam a interface intuitiva e divertida de usar. Um deles disse: “Eu notei que é mais natural do que eu lembro que era usar um mouse”.

A equipe Nuyujukian, albites-Sanabria e Saab ressalta que essa linha de pesquisa e desenvolvimento tem o potencial de abrir novos e importantes canais de comunicação entre os pacientes com graves paralisias, especialmente considerando que a interface cérebro-computador não requer para operar uma tecnologia especial de assistência de comunicação.

Os resultados do estudo foram divulgados através do jornal acadêmico PLoS ONE. A referência do trabalho é a seguinte: Nuyujukian P, Albites Sanabria J, Saab J., Pandarinath C, Jarosiewicz B, Blabe CH, et ai. (2018) Controle cortical de um computador tablet por pessoas com paralisia. PLoS ONE 13 (11): e0204566.

E aí galera, curtiram a notícia??Não se esqueçam de deixar comentário.

logo_pet2Fonte: engenhariae