Fabricantes de carros vão substituir espelhos retrovisores por câmeras e telas

O espelho retrovisor foi criado no início do século XX para aumentar a segurança dos carros. Esse é um componente que você encontra em qualquer veículo, mas algumas empresas estão se preparando para substituí-lo por tecnologias do século XXI.

A Mitsubishi desenvolveu uma câmera veicular capaz de detectar objetos a até 100 m de distância. Ela usa inteligência artificial para alertar o motorista sobre obstáculos se aproximando, e quer ajudar a prevenir acidentes — especialmente ao mudar de faixa.

A câmera imita o comportamento da visão humana para focar em determinados objetos, e sabe distinguir entre pedestres, carros e motocicletas. A Mitsubishi diz que esse sistema detecta objetos corretamente com precisão de 81%.

Por sua vez, a Panasonic anunciou no ano passado a produção em massa de seu próprio retrovisor eletrônico. Ele tem campo de visão mais amplo que um espelho convencional; não é obstruído por passageiros no banco de trás; e exibe imagens nítidas mesmo em pouca luz — à noite ou dentro de um túnel.

Como explica o Japan Times, os espelhos eletrônicos prometem aumentar a segurança porque eliminam pontos cegos, usando câmeras grande-angulares e tecnologia de visão noturna.

Além disso, as montadoras podem melhorar a aerodinâmica dos veículos. A Exa Corporation, que desenvolve software para a indústria automotiva, estima que cada veículo consome cerca de 40 l de gasolina por ano só para transportar os espelhos. Removê-los poderia resultar em uma economia de 2% a 4% de combustível.

Em 2015, a ONU modificou sua Regulamentação 46 para autorizar fabricantes de automóveis a substituir espelhos por câmeras e telas. Os primeiros carros sem espelho retrovisor tradicional devem ser lançados no Japão até 2019.

A consultoria IHS Markit estima que cerca de 400 mil veículos abandonarão totalmente os espelhos laterais comuns, adotando substitutos eletrônicos, em 2025.logo_pet2

Fonte: Tecnoblog

É sério isso? Vai sair deste artigo sem deixar seu comentário? Comente aí!