Energia eólica pode suprir quase 20% da demanda até 2030

Energia eólica na FrançaA capacidade instalada de energia eólica pode crescer 530 por cento, ou para dois mil gigawatts (GW), até 2030, fornecendo até 19 por cento da eletricidade global, afirmou relatório de uma associação comercial e do Greenpeace nesta terça-feira.

Segundo o documento, a capacidade instalada de energia originada pelos ventos totalizou 318 GW em todo mundo no final do ano passado e gerou cerca de três por cento da eletricidade global. Esta capacidade deve aumentar em outros 45 GW, para um total de 363 GW, neste ano. Continuar lendo

Especial – Conheça as propostas dos candidatos à Presidência para o setor de energia

eleições-2014As fontes de energia renováveis ganharam destaque especial entre as propostas de candidatos à Presidência da República no que se refere ao setor elétrico. Todos os presidenciáveis que incluíram propostas nessa área nos programas entregues à Justiça Eleitoral reconhecem a necessidade de aumentar a oferta em função do consumo crescente de energia, mas defendem que o país explore seus potenciais naturais para reduzir prejuízos ambientais e riscos de racionamento.

Conheça as propostas dos candidatos à Presidência para o setor de energia. Continuar lendo

Projeto de micro geração vende energia solar no mercado livre

São 9 mil painéis fotovoltaicos instalados em condomínios na Bahia

Crédito: ArquivoOs consumidores de energia elétrica têm, desde 2012, a possibilidade de instalar sistemas próprios, como placas fotovoltaicas ou mini turbinas eólicas, para produzir a própria eletricidade.
A micro geração, regulamentada pela Resolução Normativa 482/12 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), já ganhou adeptos, e funciona por meio do mecanismo “net metering”, modalidade em que o consumidor recebe créditos de consumo proporcionais à energia por ele gerada. Mas uma nova forma de viabilizar a micro geração de energia já é realidade na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) desde o início deste ano.

Continuar lendo

Setor de energia eólica vai investir R$ 15 bilhões em 2014

usina_eolica_cerro_chatoO setor de energia eólica vai investir neste ano cerca de R$ 15 bilhões e a perspectiva é manter este patamar de investimentos nos próximos anos, incluindo a participação nos leilões de energia promovidos pelo governo, de acordo com a presidenta da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeolica), Elbia Melo. Em dez anos, a energia eólica deve corresponder a 11% da  matriz energética brasileira, segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Para Elbia, um dos maiores desafios do setor no Brasil é o desenvolvimento da cadeia produtiva para garantir o andamento dos projetos e manter o índice de nacionalização, critérios básicos para conseguir financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ela concorda com a exigência, mas lembrou que a cadeia produtiva tem que evoluir rapidamente para que os projetos possam entregar a energia contratada nos leilões. Continuar lendo

Eólicas são enquadradas como prioritárias em Pernambuco e Ceará

Projetos Ventos de Santa Brígida IV e Icaraí I estão aptos a emitir debêntures de infraestrutura

Crédito: Divulgação

Os projetos eólicos Ventos de Santa Brígida IV e Icaraí I foram enquadrados como prioritários pelo Ministério de Minas e Energia (MME). Com as determinações, previstas nas portarias nº 440 e 442, publicadas nesta terça-feira (26/8) no Diário Oficial da União, os dois projetos estão aptos a captar recursos por meio da emissão de debêntures de infraestrutura.

O parque Ventos de Santa Brígida IV foi arrematado no leilão de reserva de agosto de 2013, em uma parceria entre Salus e Ventos de Santa Brígida Energias Renováveis. A planta está instalada na cidade de Caetés, na Pernambuco, e tem potência instalada de 29,7 MW, sendo composto por 11 unidades geradoras e sistema de transmissão de interesse restrito. Continuar lendo

Aneel revisa para baixo custos da energia

Preço da energia de curto prazo está diretamente relacionado ao rombo do setor de distribuição, que já exigiu empréstimos que somam R$ 17,8 bilhões

size_590_eletricidade2Brasília – A lentidão da economia brasileira levou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a revisar os custos da energia elétrica em função do menor consumo de eletricidade previsto para este e para os próximos anos.

Com menos carga a ser atendida, o custo marginal de operação (CMO) também fica menor, o que irá reduzir o preço da energia no mercado de curto prazo (PLD).

Continuar lendo

Geração de energia de eólicas cresce 44% em maio

Energia-EólicaAs usinas eólicas em operação comercial no Brasil geraram 747 MW médios de energia em maio, o que representa uma expansão de 44% em relação ao mesmo período do ano passado. Levantamento mensal divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) aponta que, ao final de maio, eram 131 usinas em operação uma a mais do que em abril. Em maio do ano passado, eram 83 as usinas em situação de operação comercial no Brasil.
Continuar lendo