Prazo para doação de crédito de carbono para Copa termina dia 18 de julho

credito-carbono-300x215Entidades interessadas em doar carbono para compensar as emissões de poluentes geradas pela Copa do Mundo de 2014 têm até o dia 18 de julho para fazer novas doações. Até agora, foram compensadas 535,5 mil toneladas de gás carbônico equivalente (tCO2eq), unidade de medição dos gases que interferem no aquecimento global. O valor ultrapassa as 59,2 mil tCO2eq estimadas para atividades como obras, uso energético nos estádios e deslocamento de veículos oficiais. Continuar lendo

Níveis de gás carbônico atingem marco histórico no hemisfério norte

“O tempo está acabando”, disse o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud, em comunicado

Governos de 200 países firmaram acordo para reduzir emissões DIMITAR DILKOFF / AFP

GENEBRA

(Reuters) – Os níveis de dióxi

do de carbono por todo hemisfério norte atingiram em abril a marca de 400 partes por milhão (ppm) pela primeira vez na história da humanidade, chegando a um limiar ameaçador para as mudanças climáticas, disse nesta segunda-feira a Organização Meteorológica Mundial (OMM) nesta segunda-feira.

Continuar lendo

Minas e Energia aposta no uso de térmicas e nuclear

“É possível que as fontes renováveis percam participação depois de 2030, porque não teremos mais hidrelétricas de grande porte para construir”, disse secretário

size_590_canada

Rio de Janeiro – A próxima década será marcada por uma virada no planejamento energético do Brasil, que passará a dar mais peso às usinas térmicas com o esgotamento das possibilidades de se construir hidrelétricas de grande porte.

A avaliação é do secretário de Planejamento e Desenvolvimento do Ministério de Minas e Energia, Altino Ventura, que abriu hoje (14) o 5º Seminário Internacional de Energia Nuclear, no Rio de Janeiro.

Continuar lendo

Brasil apresenta projetos de veículos elétricos na Shell Eco-marathon Américas

energia-shell-marathon-americas

Da Agência Ambiente Energia – Cinco equipes brasileiras participam este ano da Shell Eco-marathon Américas, competição de eficiência energética que ocorre anualmente nos Estados Unidos. Entre os dias 25 e 27 de abril, mais de 1.000 estudantes vindos de Estados Unidos, Canadá, México, Guatemala e Brasil disputarão a competição que em 2013 teve o recorde de 1.525 quilômetros percorridos com apenas um litro de gasolina – o equivalente a distância entre Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Continuar lendo

Descoberta nova técnica para transformar luz em eletricidade

"Você pode imaginar a tinta do seu laptop funcionando como uma célula solar para alimentá-lo usando apenas a luz."
“Você pode imaginar a tinta do seu laptop funcionando como uma célula solar para alimentá-lo usando apenas a luz.”

Um novo mecanismo para a extração de energia a partir da luz poderá tornar as tecnologias de energia solar mais flexíveis e permitir a construção de dispositivos optoeletrônicos mais eficientes para telecomunicações.

David Conklin e seus colegas da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, trabalham com nanoestruturas plasmônicas – materiais fabricados a partir de nanopartículas metálicas – e moléculas orgânicas sensíveis à luz, chamadas porfirinas, muito usadas nas pesquisas de fotossíntese artificial.

Em 2010, a equipe conseguiu fabricar uma nanoestrutura plasmônica que gera e distribui uma corrente elétrica através de um encadeamento molecular. Continuar lendo

Coreia do Sul deve ganhar o primeiro edifício ‘invisível’ do mundo

160955-predio-invisivel

A prefeitura da cidade sul-coreana de Cheongna, próxima da capital Seul, autorizou a construção daquele que será o primeiro edifício invisível do mundo. Com 450 metros de altura, o prédio usará painéis de LED para exibir imagens do ambiente e, assim, criar a ilusão de ótica.

Continuar lendo

Estudo alerta para degelo no solo do Ártico em até 30 anos

Um estudo realizado a partir de estalagmites antigas afirma que o “permafrost”, solo permanentemente congelado do Ártico, poderia começar a derreter a partir de uma elevação das temperaturas globais de 1,5°C, em comparação com níveis pré-industriais.

Esse solo,assim, pode começar a derreter entre 10 e 30 anos, liberado gases de efeito estufa na atmosfera e agravando o aquecimento global. Essa previsão foi calculada  pela equipe chefiada por Gideon Henderson, do Departamento de Ciências da Terra na Universidade de Oxford, na Grã-Bretanha, a partir dos dados de que a temperatura global média já aumentou 0,8º Celsius após a Revolução Industrial e se a tendência atual se mantiver, o limite poderá ser alcançando em até três décadas.

“É necessário fazer um esforço urgente para reduzir os gases de efeito estufa”, alertaram os cientistas, que realizaram o estudo sobre estalagmites e estalagmites encontradas em uma gruta perto de Lensk, no leste da Sibéria.

Estes espeleotemas se formam quando a água da superfície se infiltra no teto da gruta, onde a temperatura ambiente é a mesma da superfície. Por isso, são testemunhos preciosos de uma época em que a região não era congelada. Continuar lendo