Relatório afirma que energia renovável ajuda desenvolver agricultura

  A polêmica envolvendo terras para produção de energia limpa e o espaço para a agricultura foi tema de um relatório mundial sobre bioenergia e sustentabilidade, coordenado por cientistas brasileiros ligados à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) com apoio do Comitê Científico para Problemas do Ambiente (Scope, na sigla em inglês) e da agência intergovernamental responsável pela iniciativa, associada à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O documento afirma que não há falta de terras no planeta para a produção de bioenergia. O relatório, intitulado Bioenergy & Sustainability, aponta que a expansão de áreas destinadas a fontes de energia renovável não coloca em risco a produção de alimentos, pelo contrário, pode ajudar a desenvolver a agricultura. Ou seja, existe terra suficiente no mundo para uma contribuição significativa de bioenergia em uma matriz energética mundial sustentável.

De acordo com a pesquisa, entre as regiões onde há mais terras para desenvolvimento da bioenergia estão a África e a América do Sul. Hoje, a participação da bioenergia é de aproximadamente 10% na matriz energética mundial.

Fonte: Ambiente EnergiaLogo Pet 2