Pesquisadores do Japão desenvolvem célula solar ultrafina

A equipe de pesquisadores garante que mesmo após a lavagem funciona. Aplicável como fonte de energia para equipamentos wearable.

Uma grande equipe composta por pesquisadores da Riken e da Universidade de Tóquio desenvolveu uma célula de energia solar ultrafina, esticável e lavável. Ela foi tema de publicação em uma revista científica – Nature Energy – na segunda-feira (18), como aplicável em equipamentos wearable (vestíveis, na tradução livre).Takao Aya da Universidade de Tóquio, explicam que desenvolveram a célula solar sensibilizada por um processo de impressão de compostos orgânicos. Eles têm propriedades semicondutoras e foram aplicados em membranas de polímero ultrafino. A célula solar apresentada tem apenas 3 micrômetros de espessura e funciona bem mesmo amassada ou até esmagada.

Aplicada em roupa pode carregar o smartphone

Um dos testes importantes foi o de colorir a célula solar com uma caneta e lavá-la com sabão líquido para remover as manchas de tinta. Ainda assim, o desempenho não deteriorou.

A eficiência da conversão da luz solar em energia elétrica é de duas vezes mais do que as células solares finas convencionais, já existentes.

Se for encaixada entre duas lâminas de borrachas transparentes, a elasticidade e a resistência à água podem ser reforçadas.

A equipe de pesquisadores sugere que essa célula solar possa ser usada como fonte de energia para equipamentos médicos se coladas à roupa, como a camisa, por exemplo.

Ela seria útil como fonte de energia para equipamentos hospitalares que medem a pressão arterial e a temperatura corporal constantemente e encontram uma doença precocemente. Quem sabe, até para a recarga de um smartphone, integrado com a roupa, informaram os pesquisadores.

Fonte: Portal MIE

logo_pet2