Participação de renováveis na matriz brasileira recua para 79,3%

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgou os resultados preliminares do Balanço Energético Nacional (BEN 2014), que revela o desempenho do setor no ano passado. O documento aponta que a participação de fontes renováveis na matriz energética nacional caiu de 84,5% em 2012, para 79,3% em 2013.

1618

Oferta hidráulica caiu pelo segundo ano consecutivo, e geração termelétrica cresceu 31% em 201

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo a EPE, a menor oferta hídrica, devido às condições hidrológicas desfavoráveis, explica o recuo da participação de renováveis na matriz. Assim, pelo segundo ano consecutivo, houve redução da oferta de energia hidráulica, com decréscimo de 5,4%, apesar do incremento de 1.724 MW na potência instalada do parque hidrelétrico.

Em contrapartida, o abastecimento foi assegurado com o aumento da geração térmica em 31%. A expansão dessa geração foi dada, especialmente pelas usinas movidas a carvão mineral, com aumento de 75,7%; gás natural, crescimento da geração em 47,6%; bagaço de cana, com uma elevação de 19,2%.

Comparadas ao ano de 2012, as térmicas apresentaram crescimento em sua participação na matriz elétrica, sendo, para o carvão, de 1,6% para 2,6%; gás natural, de 7,9% para 11,3%; bagaço de cana, de 4,2% para 4,9%.

Segundo o documento, também contribuiu para a segurança energética a geração eólica, cujo crescimento de 30,2% reflete o parque eólico ter atingido a potência de 2.202 MW.

A íntegra do balanço pode ser encontrada aqui.

 

 

Fonte: Jornal da Energia                                                                                                                                                                                                                                    logopet