Horário de verão inicia no domingo e consumo de energia deve reduzir 0,9%

Redução de consumo abasteceria Chapada dos Guimarães por 11 meses. Horário de verão irá até o dia 21 de fevereiro do ano que vem.

Horário de verão, no estado de São Paulo, segue até 21 de fevereiro de 2016 (Foto: Aramys Campos)Começa neste domingo (18) em 10 estados brasileiros, além do Distrito Federal, o horário de verão. Segundo estimativa da concessionária de energia em Mato Grosso, espera-se uma redução de 0,9% no consumo de energia elétrica. O percentual equivale a 29,2 gigawatts-hora e serviria para abastecer o município de Chapada dos Guimarães, a 65 km da capital e que tem 17.821 habitantes, durante 11 meses.

Os relógios deverão ser adiantados em um uma hora à 0h (meia noite) do sábado para o domingo, seguindo até o dia 21 de fevereiro, quando o relógio deve ser atrasado também por uma hora.

O horário de verão é decretado pelo Ministério de Minas e Energia e será adotado nos estados doRio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro,Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.

O objetivo da pasta é reduzir a demanda de energia durante o chamado ‘horário de ponta’, ou seja, o horário em que existe o maior consumo de energia elétrica, que vai de 18h às 21h. Com o reajuste nos ponteiros, é possível que os moradores aproveitem por mais tempo a luz natural, o que permite, por exemplo, que a iluminação pública seja ligada mais tarde do que o normal.

Segundo a Energisa, a expectativa deste ano é que a redução de consumo, durante o horário de ponta, chegue a 4,3%. O percentual está dentro da meta do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que considera com ideal uma redução entre 4% e 5%.

No geral, a concessionária de energia estima que haverá uma diminuição de cerca de 0,9% do consumo de energia durantes os 126 de horário de verão. O percentual equivale a 29,2 gigawatts-hora (Gwh) e é suficiente par abastecer o município de Chapada dos Guimarães por 11 meses.

Poconé e Lucas do Rio Verde, a 104 e 360 km de distância de Cuiabá, poderiam ser abastecidas por quase dois meses com essa demanda, respectivamente. O ONS considera como ideal uma redução de 0,5% a 1% durante todo o horário de verão.

Na temporada 2014/2015 a redução da demanda de energia elétrica no estado, durante o horário de ponta, foi de 4,81%. No total, a diminuição do consumo foi de 0,96% durante os meses de economia.

O horário de verão chega, este ano, a sua 40ª edição. Ele foi decretado em 1931 no Brasil. A ideia é adotada em vários países do mundo como os Estados Unidos, México, Canadá, Rússia, Israel, Austrália, entre outros.

Fonte: G1logopet