Equipamentos conectados desperdiçam US$ 80 bilhões em energia por ano, segundo Agência Internacional de Energia

Principal preocupação é em relação ao modo standby com uso maior do que recomendável para manter conexão com a internet.

csm_STandby_6ac5cae592

 

 

 

 

 

 

 

Equipamentos constantemente conectados à rede mundial de computadores estão se tornando vilões do desperdício de energia no mundo, segundo estudo divulgado nesta quarta-feira, 2 de julho, pela Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês). São 14 bilhões de aparelhos conectados – como decodificadores, consoles de videogames e impressoras -, que, de acordo com a IEA, estão desperdiçando US$ 80 bilhões por ano em decorrência de ineficiência das tecnologias usadas.

E a agência alerta que se nada for feito este desperdício pode chegar  a US$ 120 bilhões em 2020, que são recursos gastos pelos consumidores em contas de energia. Ano passado, esses equipamentos consumiram 616 TWh, a maior parte deste montante para o modo standby apontado como causa principal do desperdício de energia. Desse total, 400 TWh são considerados gastos de energia desnecessários, segundo a IEA.

A agência afirma que medidas simples podem ser empregadas para incrementar a eficiência energética nos aparelhos conectados, resultando em uma massiva economia de dinheiro e energia. “A proliferação de equipamentos conectados traz muitos benefícios para o mundo, mas agora o custo está muito maior do que deveria”, afirmou Maria van der Hooven, diretora executiva da IEA, durante o lançamento do relatório More Data, Less Energy: Making Network Standby More Efficient in Billions of Conected Devices.

“Consumidores estão perdendo dinheiro na forma de energia desperdiçada, que está levando a mais custosas subestações de energia e a construção de mais infraestrutura de distribuição que, de outra forma, não precisaríamos – sem mencionar a maior emissão de gases do efeito estufa”, observou a executiva. Maria afirmou que tecnologias existentes podem minizar o custo de atender a demanda desses equipamentos.
Segundo o relatório, o modo standby desses equipamentos consome tanta energia quanto ligados para se manterem conectados à rede. Segundo a IEA, o uso de tecnologias existentes para mudar essa realidade levando a uma economia de 65% no uso do standby. Caso isso, acontece, de acordo com o relatório, poderiam ser economizados 600 TWh de energia.

Acesse aqui o relatório em inglês.

 

 

Fonte: Canal da Energialogopet