Dois anos depois, UHE Belo Monte tem 30% das obras concluídas

Image

Visão do circuito de geração da usina

No dia 23 de junho de 2011 o consórcio construtor da usina de Belo Monte (CCBM) começava a instalar o primeiro canteiro de obras daquela que será a maior hidrelétrica 100% brasileira em potência instalada, no Rio Xingu, no Pará. Pouco mais de dois anos de passaram e 30% das obras estão concluídas. No início do ano, a Norte Energia entregou o Sistema de Transposição de Embarcações (STE) e em abril recebeu o primeiro equipamento eletromecânico – parte da estrutura que vai receber a Unidade Geradora 01.

Segundo a Norte Energia, responsável pelo empreendimento, mesmo depois de várias invasões aos canteiros de obras nesse período – que por vezes provocou a paralisação dos trabalhos -, o cronograma original está mantido, com a previsão de início da operação da primeira turbina, no Sítio Pimental, em fevereiro de 2015.

Em julho, a obra atingiu a marca de 200 mil metros cúbicos de concretos utilizados. “A eficiência e o cumprimento dos prazos nos serviços de concretagem são fundamentais para a montagem dos demais componentes da Casa de Força Principal. Até 2019, quando entrará em operação a última das 24 turbinas de Belo Monte, terão sido aplicados mais de 3 milhões de metros cúbicos de concreto”, informa a Norte Energia.

Paralelamente as obras da hidrelétrica, a Norte Energia afirma que vem cumprindo as condicionantes exigidas para a construção do mega projeto. “A Norte Energia, no âmbito do processo de licenciamento ambiental, desenvolve 117 projetos de cunho ambiental, econômico, social e cultural na região de Belo Monte. Já foram investidos, até o momento, mais de R$ 1 bilhão por meio do Projeto Básico Ambiental (PBA), do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS Xingu) e do Plano Emergencial. São investimentos na área socioambiental, que envolvem atividades como apoio a saúde, educação, qualificação profissional, geração de emprego e renda, saneamento básico, segurança, meio ambiente (físico e biótico), aquisição e projetos para reassentamento urbano e patrimônio cultural, entre outras”, detalha a companhia.

Ainda de acordo com o cronograma original, em outubro deste ano se dará o início da montagem eletromecânica das primeiras de um total de 24 unidades geradoras do empreendimento, que totalizarão 11.233MW de capacidade. Atualmente, o valor total do investimento está orçado em R$28,9 bilhões. A totalidade da operação das turbinas está prevista para janeiro de 2019.

fonte : http://www.jornaldaenergia.com.br

logopet